domingo, 15 de fevereiro de 2009

Pseudociese?


Na novela "América" que a Rede Globo exibiu em 2005, a personagem Simone viveu uma Pseudogestação ou Pseudociese, ou seja, teve uma "barriga de mentira", gravidez psicológica ou imaginária.
Segundo especialistas, essa síndrome é de origem mental, mas o corpo responde com sinais de uma real gravidez, com aumento do volume do abdome (barriga), náuseas, vômitos, sensação subjetiva de que o bebê está se mexendo, e até aumento de mamas com secreção de leite. A amenorréia (ausência de menstruação) é um sinal característico.
O Dr. Joel Rennó Jr., médico psiquiatra, coordenador do Pró-Mulher, programa de atenção à saúde psicológica da mulher desenvolvido no Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade São Paulo, esclarece que "algumas mulheres desejam tanto engravidar, ou pelo contrário, temem a gravidez por um medo inconsciente, e acabam apresentando quadro clínico de pseudociese. Ou seja, a falsa crença de estar grávida, associada com sinais objetivos de gravidez. "
Continuando em sua linha de raciocínio, Dr. Joel afirma que "embora o problema possa acometer mulheres de baixo nível de instrução, em sua maioria, não é incomum também acometer mulheres solteiras, magras e com profissões consideradas 'intelectuais'. O histórico de problemas psicológicos, sexuais e traumas sócio-ambientais devem ser investigados".
Fizemos tais considerações para chegar ao foco do tema escolhido: a jovem Paula Oliveira, advogada de 26 anos de idade, vivendo na Suiça, foi alvo da imprensa com grande repercussão no Brasil, ao afirmar ter sido alvo de ataque de neonazistas na noite de 9 de fevereiro de 2009, na estação de trem de Stettbach, em Zurick, com ferimentos provocados por um instrumento cortante.
Ao ser socorrida, apresentando cortes em diversas partes do corpo, especialmente no abdomem e pernas, Paula informou ter sofrido aborto espontâneo no banheiro da estação, logo após o ataque, e que se tratava de gravidez gemelar.
Durante as investigações os médicos que a examinaram afirmaram que a jovem não apresentava sinais de gestação recente, e que os cortes supostamente provocados por neonazistas, numa retaliação xenofóbica, na verdade tratavam-se de automutilação.

Cabe-nos, então, indagar se tantos especialistas envolvidos na investigação não pensaram na possibilidade de uma pseudogestação, com todas as implicações que o quadro apresenta, principalmente se considerarmos as afirmações do Dr. Joel Rennó Jr. acerca de possível trauma sócio-ambiental?

Um comentário:

oinvernodevivaldi disse...

Olá...
Estava assistindo há pouco o segundo episódio da primeira temporada da série "Mental", e há uma cena em que uma jovem sofre de pseudocyesis... Fui procurar com carinho no Google e encontrei o teu blog.
Muito bacana você abordar o assunto!!!
Tá de parabéns...